• PET Eng. de Produção

Ergonomia : consequências e recomendações no Home Office

Provavelmente você já esteve com “dor nas costas” após ficar longos períodos sentado em frente ao computador trabalhando ou estudando. Caso já tenha passado por essa situação, esse texto é para você!


Para entender mais a fundo o que podemos fazer para evitar dores e desconfortos lombares durante o home-office, vamos falar sobre Ergonomia.


No Brasil, toda empresa, privada ou pública, que possui colaboradores regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), deve atender às exigências das Normas Regulamentadoras pertinentes às suas atividades. Uma dessas NR's, como são conhecidas, é a NR 17, que trata sobre Ergonomia. Segundo o médico francês Alain Wisner:


“A Ergonomia é o conjunto dos conhecimentos científicos relacionados ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficiência” (1987).


A NR 17 regulamenta e estabelece parâmetros que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar o máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. Desta forma, as empresas buscam se adequar a norma e proporcionar aos seus colaboradores um mobiliário que seja adaptado, não só às características antropométricas da população, mas também à natureza do trabalho, ou seja, às exigências da tarefa.


Para entendermos as reais consequências que a falta de um mobiliário ergonômico e a ausência de ações que minimizem desconfortos físicos causam, basta analisarmos os dados referentes ao número de afastamentos do Instituto Nacional do Seguro Social. Entre o ano de 2012 a 2018 cerca de 126.351 pessoas se afastaram do emprego por dorsalgia, a popular “dor nas costas”, causada no ambiente ocupacional, correspondendo a 21% dos afastamentos acidentários do período (doença com maior percentual de afastamentos).


Dados: Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho - SmartLab


Mas como tudo isso tem relação com o Home Office?


Analisando o momento atual de pandemia, muitos colaboradores tiveram que se adaptar para trabalhar em casa, onde nem sempre a estrutura e os mobiliários são adequados e inexiste acesso das empresas ao local, impossibilitando-as de intervir para aplicar as exigências da NR 17. Recentemente, a Organização Mundial do Trabalho também destacou o grande problema que o modelo home office traz para as aplicações dos princípios de prevenção da Saúde e Segurança do Trabalho e esse controle das legislações.


Recomendações


Mas como podemos adequar nosso novo ambiente de trabalho e estudos?

Aqui vão algumas dicas que podem tornar seu espaço de trabalho mais confortável e ergonômico:

  • Mesa ou escrivaninha: deve-se deixar espaço livre embaixo da mesa para suas pernas, portanto evite deixar objetos nesse espaço e mantenha seus pés apoiados no chão ou em apoio próprio para os pés. Para o caso de sua mesa não possuir bordas arredondadas, invista em suportes ergonômicos para o apoio do pulso durante a digitação e uso do mouse. Procure deixar objetos que são constantemente usados ao seu fácil alcance, sem que haja esforço ou rotação do tronco para apanhá-los.

  • Postura: procure sempre manter a postura alinhada com a cadeira (vale investir em cadeiras com ajuste de encosto) e com os braços apoiados horizontalmente em formato de L. Lembre-se que a distância ideal do monitor de vídeo dos seus olhos é de um braço esticado e o mesmo deve estar em uma altura que corresponde à projeção horizontal da linha dos seus olhos. Além disso, mantenha o teclado e mouse alinhados com seus antebraços.

  • Cadeira: evite usar cadeiras com encosto reto, ou seja, que não sejam adequadas à curvatura natural do dorso. Sendo assim, mantenha sua cadeira com os ajustes de altura adequados para você e utilize as regulagens de altura.


  • Alongamentos: Assim como nas empresas, é importante manter intervalos regulares para realizar pausas destinadas à alongamentos, portanto procure fazê-las com periodicidade ou sempre que achar necessário.

Para muitas outras dicas e recomendações, acesse o Manual de Orientações do Teletrabalho, elaborado pela Divisão de Saúde do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região:<https://www.trt7.jus.br/escolajudicial/arquivos/files/cursos_material/Materia_Sade_manual_teletrabalho_agosto_2019.pdf >.


Obrigada pela leitura e tenha um ótimo dia!


Beatriz Locatelli

5 visualizações0 comentário